Dedetização em hotéis e pousadas: diferencial de hospitalidade

Todo hóspede busca conforto. E não estamos falando só de uma cama macia, nem de conveniências como TV a cabo ou Wi-Fi. A limpeza também faz parte do pacote. Por isso, é fundamental recorrer à dedetização em hotéis e pousadas.

Esse procedimento está diretamente relacionado à qualidade do serviço. Afinal, a presença de insetos no quarto depõe contra o estabelecimento. Eles transmitem um aspecto de sujeira, descaso ou mesmo abandono das instalações.

A questão é que os seres indesejados cismam em aparecer. Por mais que sua equipe higienize as habitações, ainda assim eles dão um jeito de retornar. Desse modo, só mesmo o auxílio de profissionais para proteger o ambiente.

Principais pragas urbanas em hotéis e pousadas

São consideradas pragas os insetos que se reproduzem desordenadamente dentro das edificações. Além de sujar e até danificar o mobiliário, alguns deles podem transmitir doenças, o que representa um risco à saúde da clientela.

No caso de hotéis e pousadas, qualquer bicho indesejado pode acarretar complicações. Porém, os mais temidos são os percevejos, pulgas, cupins e baratas.

Como funciona a dedetização em hotéis e pousadas

A desinsetização, popularmente conhecida como dedetização, é um procedimento que cria uma barreira química na área. Essa proteção tem efeito curativo e preventivo. Isto é: elimina focos de infestação existentes e ainda impede que novos invasores se instalem.

Quando os profissionais chegam ao hotel, primeiro eles fazem uma investigação técnica. Essa etapa serve para identificar as espécies que estão infestando o terreno. A partir daí, fica mais fácil definir a estratégia de controle das pragas.

Alguns procedimentos podem ser realizados durante o expediente. Por exemplo, é o caso da desinsetização de baratas, que usa um produto em gel aplicado em cantos estratégicos.

Já a pulverização de domissanitário líquido, uma técnica para imunizar áreas maiores, exige a evacuação do prédio por algumas horas. Nessas situações, é melhor se planejar para não atrapalhar o fluxo de visitantes.

Se a pousada tem várias cabanas ou prédios espalhados por uma propriedade, dá para fazer a dedetização escalonada. Você pode isolar uma edificação de cada vez, mantendo as operações parcialmente. Em empreendimentos pequenos, o melhor é fechar as portas totalmente por dois ou três dias. Nessa hipótese, recomendamos que a desinsetização seja realizada na baixa temporada, como forma de minimizar o impacto nos negócios.